Júri absolve ex-prefeita Ângela Garrote, acusada de ser mandante de homicídio

Crédito: Caio Loureiro/Ascom TJ

Crédito: Caio Loureiro/Ascom TJ

No início da tarde desta terça-feira, dia 16, o júri conduzido pelo juiz John Silas, da 9ª Vara Criminal da Capital decidiu pela absolvição da ex-prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote, acusada de ser a mandante do homicídio de José Roberto Resende Duarte.

Hoje pela manhã, a acusada disse durante seu depoimentos que as motivações que levaram ela ser apontada como a mandante do crime tiveram conotações políticas e chegou a citar que o ex-deputado federal Helenildo Ribeiro (PSDB), morto em 2006, a teria denunciado pelo crime em Brasília, quando exercia seu mandato.

Segundo a assessoria de Comunicação do Ministério Público Estadual (MPE/AL)  o promotor José Antônio Malta Marques informou que vai analisar se recorrerá ou não dentro do prazo legal que é de cinco dias.

O caso

De acordo com o Ministério Público do Estado, o homicídio de José Roberto Resende Duarte teria sido encomendado por Ângela Garrote, na época primeira-dama de Estrela de Alagoas, e teria ocorrido após a vítima ter denunciado na imprensa supostas irregularidades de Ângela e do marido que estava à frente da Prefeitura.

José Roberto foi morto em março de 1999, no povoado Canafístula, zona rural de Palmeira dos Índios. De acordo com a denúncia oferecida pelo Ministério Público (MP/AL), a vítima foi assassinada a tiros por três homens que se passavam por policiais.

A defesa da ré alegou que ela não teve envolvimento com o crime. Ângela Garrote foi pronunciada em maio de 2013.

CadaMinuto

anuncie_948x128